Controle de ponto móvel é aposta para condomínios

  • Por Secovi Rio -


É comum alguns condomínios terem um fluxo intenso de entrada e saída de funcionários. Nesses casos, fica difícil para as administradoras controlarem, à distância, a jornada de trabalho dos empregados dos prédios. Uma novidade, no entanto, promete resolver esse problema: a adoção do relógio móvel de controle de ponto.

Trata-se de um sistema que pode ser disponibilizado em aplicativos instalados no celular, no tablet ou mesmo no computador pessoal. Os funcionários registram os horários de entrada, saída e a pausa para o almoço. A marcação pode ser feito de qualquer lugar, sem a obrigatoriedade de locomoção até um local físico para o registro. Todas as informações registradas são enviadas em tempo real para o gestor.

De uma forma simples e segura, esse tipo de sistema pode auxiliar empresas terceirizadas e administradoras de condomínios, já que oferece uma organização completa da jornada de trabalho dos funcionários, deixando o cartão de ponto manual ou os livros de registro para trás.

Mais comodidade

Com o avanço dessa tecnologia, companhias como a PontoTel criaram sistemas cuja finalidade é solucionar o problema das empresas que possuem funcionários trabalhando externamente. “Identificamos a necessidade que o mercado apresentava em relação à gestão de pessoal. Criamos um sistema que facilita a administração do controle de frequência de empresas. Com isso, as administradoras de condomínio podem registrar, de forma mais atualizada, a entrada e saída de funcionários”, diz o diretor da PontoTel, Pedro Pimenta.

O vice-presidente do Secovi Rio, Leonardo Schneider, apoia a utilização do novo modelo. “Se for uma tecnologia de baixo custo que não prejudique o bolso dos condôminos e que ainda possa ajudar os funcionários, acredito que seja algo que virá para o bem. Além do fato de um serviço como esse facilitar em muito a gestão do condomínio”, afirma.

“É bom lembrar, ainda que, quando estamos tratando de condomínios, o fato de que apenas aqueles que têm mais de dez empregados estão obrigados a fazer o controle de ponto”, conta Solange Santos, gerente do departamento Jurídico do Secovi Rio.

(Fonte: O Dia, Marina Cardoso)