Vai renovar o contrato de aluguel? Faça as contas e veja como negociar

  • Por Secovi Rio -


Com a alta de 8,24% na inflação do aluguel, nos 12 meses encerrados em julho, muitas pessoas ficam em dúvida se vale a pena renovar o contrato atual ou procurar um outro imóvel para morar. Walter Franco Lopes, professor de economia do Ibmec, explica que, apesar deste ser o índice geralmente usado para atualizar os valores, há espaço para negociação entre o inquilino e o proprietário ou a imobiliária.

— Com o patamar elevado do desemprego e a inadimplência, em alguns casos, é possível até reduzir o valor do aluguel — disse.

O vice-presidente do Secovi Rio (Sindicato da Habitação), Leonardo Schneider, concorda que, em uma negociação, o histórico do inquilino pode ser levado em conta:

— Tem vantagens aquela pessoa que paga tudo em dia e faz a manutenção do imóvel adequadamente.

Além de negociar o abatimento, destacam os especialistas, o momento é ideal para propor melhorias na moradia.
Com isso, o preço pode cair mais. Liste as melhoria de que o imóvel precisa, como um novo box para o banheiro, uma pintura externa, uma troca de piso e consertos em geral, que aumentam o conforto e a qualidade do bem.

Todos os gastos na ponta do lápis

De acordo com um levantamento realizado pelo Secovi Rio, em alguns bairros, o valor da locação representa um pouco mais da metade do valor total da moradia. Isso mostra que, às vezes, uma pessoa que vai morar de aluguel planeja em pagar no máximo mil reais, mas as despesas com moradias ultrapassam R$ 2 mil com os gastos complementares, como condomínio, luz, água, gás e TV paga.

Por isso, é importante colocar todos os gastos na ponta do lápis na hora de decidir entre renovar o contrato ou procurar uma nova casa.

— Muitas pessoas querem economizar no aluguel, mas esquecem que há gastos com a mudança, seguro no contrato e possíveis ajustes necessários no novo imóvel, como reparos na parte elétrica ou hidráulica. Além disso, a nova residência pode ser mais distante do trabalho, e o morador terá mais despesas com transporte e menos comodidade, horas de sono e descanso. Tudo isso é importante considerar, assim como o valor do IPTU — afirma Walter.

Fique de olho no contrato

Antes de assinar o documento, fique atento:
– Ao prazo do contrato e às condições de renovação
– Sobre as garantias exigidas pelo proprietário (como regras do fiador) e os custos (como seguro-fiança, por exemplo)
– Aos tópicos sobre vistoria: como será feito o procedimento na entrada e na saída do imóvel
Saiba como funcionam as garantias na hora de alugar

Fonte: Jornal Extra, 31/7/2018