Conflitos em condomínios: como lidar com eles?

  • Por Secovi Rio -


Em um edifício, conflitos entre os moradores são comuns. De acordo com enquete realizada no portal do Secovi Rio, é justamente esse o problema que mais aflige os síndicos. Dos 305 que responderam a pesquisa, a maior parte, 25%, revelou que a principal dificuldade na gestão é resolver os atritos entre vizinhos. O tema é tão recorrente que superou até o fantasma da inadimplência: 21% dos síndicos apontaram a falta de pagamento como uma das grandes vilãs.

A verdade é que, para exercer a função, o síndico precisa ter jogo de cintura, estar atento às necessidades de cada morador e saber dialogar de maneira que todos saiam ganhando. Visando auxiliar os gestores prediais nessa árdua missão, a UniSecovi Rio promove o curso Gestão de Conflitos em Condomínios, de 9 a 11 de abril, em sua sede (Av. Almirante Barroso, nº 52, 9º andar, Centro), de 9h30 às 12h30, com a psicóloga Silvia Regina de Sousa, especializada em comportamento e gestão de pessoas.

As inscrições podem ser feitas diretamente através do site www.secovirio.com.br. Mais informações sobre programa e investimento pelo telefone (21) 2272-8000 ou pelo WhatsApp (21) 98547-2812.

Barulho é problema nº 1

Levantamento do Departamento Jurídico do Secovi Rio aponta que os temas mais comuns nos conflitos entre moradores são, em ordem decrescente de importância: barulho, garagem, obras, uso indevido das partes comuns e animais. Abaixo, os assuntos que deixam os síndicos de cabelo em pé:

  • Barulho:aparelhos de som, festas, arrastar de móveis, sapato de salto, crianças correndo ou brincando
  • Garagem: falta de espaço, dano, furto, uso indevido da vaga, aluguel indevido
  • Obras: horários inadequados, sujeira, uso das partes comuns para guarda de materiais, falta de proteção, barulho
  • Uso de partes comuns: salão de festas além do horário, dano, crianças brincando até tarde, utilização exclusiva de área comum
  • Animais: barulho, mau cheiro, circulação pelas partes comuns

Qual a principal dificuldade do síndico na administração do seu condomínio?