Contratos de locação aumentam no Estado

  • Por Secovi Rio -


Segundo especialista, a diminuição do estoque no último ano se dá devido à política econômica, que gerou uma onda de credibilidade para o país Divulgação

Pesquisa realizada pelo Secovi-Rio (Sindicato da Habitação) revela que, entre 2012 e 2018, houve um aumento de 457% no estoque de imóveis residenciais (apartamentos) no Rio de Janeiro.

As 2.198 mil ofertas disponíveis em 2012 passaram para 12.244 mil, no ano passado. Mas o cenário imobiliário no estado mudou no último ano. Segundo o coordenador estatístico do Secovi-RJ, Maurício Eiras, o estudo mostra que, nos últimos 12 meses, houve uma queda de 12,5% no estoque. Ou seja, o mercado imobiliário começa a reaquecer com mais pessoas interessadas em alugar no Rio.

Para Gustavo Vianna, gerente de Negócios Imobiliários da Cipa, uma das principais administradoras de imóveis do Rio, a diminuição do estoque no último ano se dá devido à política econômica, que gerou uma onda de credibilidade para o país. Foi aí que as pessoas começaram a apostar no mercado imobiliário.

‘Outro fator é que os preços caíram consideravelmente. As pessoas não aguentavam mais pagar um aluguel até 60% mais caro que o preço de mercado. Isso ajudou a melhorar esse cenário’, explica o especialista.

Para ele, a crescente no número de ofertas de apartamentos para alugar desde 2012 é consequência de novos lançamentos no mercado, impulsionados por um momento de projeção positiva do Rio de Janeiro, ao passo que a procura diminuiu consideravelmente, somada à rescisão de muitos contratos de locação, seja porque as pessoas trocaram o Rio por outras cidades ou pelos altos preços. Assim, a expectativa do setor imobiliário esbarrou num desinteresse no mercado, levando a uma conjuntura desfavorável e que justifica a curva tão acentuada entre 2013 e 2017.

Investimentos – Para tentar ocupar os imóveis vazios, muitas administradoras e imobiliárias investiram em processos menos burocráticos, atraindo novos inquilinos e facilitando o processo de locação. Um exemplo é a Cipa, que, há poucos meses, fechou uma parceria com a plataforma digital QuintoAndar, passando a oferecer produtos, serviços e vantagens aos inquilinos, como a não exigência de fiador, seguro fiança ou caução. Já para os proprietários, a parceria passou a garantir o pagamento do aluguel em dia ao proprietário, mesmo em caso de inadimplência.

‘A estimativa é triplicar a carteira de administração de locação. Essa parceria vai proporcionar experiências ainda mais positivas aos clientes, pois teremos processos mais simplificados e taxas fixas’, destaca Vianna.

FONTE:  |