Leilões de imóveis dão descontos generosos para tentar driblar crise

  • Por Secovi Rio -


O mercado imobiliário ainda não se recuperou da crise econômica e precisa vender. Por isso, os leilões de imóveis estão dando descontos generosos e podem ser uma boa oportunidade de negócio.

Vendido. O martelo é simbólico. O leilão é todo na internet e entrou na onda do Black Friday, a temporada de descontos. É assim que os bancos querem se livrar dos imóveis retomados de inadimplentes e encalhados.

“Além do desconto de 30%, tem a opção de pagamento com financiamento até 35 anos, todos os débitos pagos do imóvel até a data do leilão, e quem comprar vai ganhar 100 mil pontos no programa de recompensas do banco”, diz o leiloeiro Henri Zylberstajn.

Henri é um dos cinco leiloeiros encarregados de vender mil imóveis que foram retomados por um banco. Para comprar um imóvel num leilão, basta um celular. Dá para escolher a casa ou o apartamento, fazer o lance, e, em alguns casos, arrematar na hora. Mas os compradores não estão com essa pressa toda. E o motivo é esse aqui: tem ofertas demais no mercado. Quem busca um imóvel pode ter calma e paciência para achar aquela pechincha imperdível.

É o que está fazendo um casal interessado em comprar um imóvel para investir. Eles se interessaram por um pequeno apartamento com 30% de desconto sobre o valor de mercado. Eles gostaram, mas vão pensar bem antes. “É como garimpar. Você tem que procurar, você tem que avaliar, tem que pesquisar bastante. Não dá para ser uma compra simples, só ‘olhei o imóvel e gostei’”, afirma a fonoaudióloga Lilian Fiori.

O especialista em leilões de imóveis Clécio Rocha explica que essa liquidação de imóveis é resultado da crise econômica. “As pessoas perderam empregos, perderam renda, não conseguem honrar os contratos de financiamento. Ou seja, os bancos recuperaram muitos imóveis e eles não conseguem vender, porque realmente as pessoas não têm crédito, as pessoas necessitam do crédito para comprar e não conseguem obter esse crédito”, diz.

Apesar das ofertas tentadoras, muitas casas e apartamentos não recebem nenhum lance. Um alerta: em muitos imóveis, os compradores originais ainda moram lá. E a negociação para que saiam pode durar uns seis meses. Para compensar, os bancos oferecem os maiores descontos.

Só a Caixa Econômica Federal tenta se livrar de um estoque de 28 mil casas e apartamentos. Mais de mil com descontos de até 70%. Os leilões já estão acontecendo também na internet.

É a liquidação da liquidação para fazer com que o martelo, mesmo que seja apenas virtual, seja batido.

Fonte: Jornal Nacional, 19/11/18