Tribunais diferenciam investidor do consumidor comum nos distratos

  • Por Secovi Rio -


Vem ganhando força nos tribunais de São Paulo e do Rio de Janeiro uma nova forma de interpretar as discussões relacionadas aos distratos – casos em que o cliente desiste do contrato de compra e venda de um imóvel na planta. Os desembargadores têm levado em consideração, ao analisar esses processos, o perfil do comprador e decido que deve haver tratamento diferenciado aos que adquiriram o bem para investimento e não para uso próprio.

Lei mais no Valor Econômico.