Bom senso e diálogo: caminhos para negociações de relações locatícias durante a pandemia

  • Por Secovi Rio -


A pandemia do novo coronavírus e as medidas para restringir a circulação de pessoas nas ruas já afetou diversas cidades no Brasil e no mundo. Com menos ônibus circulando, comércio e empresas fechadas e trabalhadores autônomos sem renda, uma das preocupações quem vem tirando o sono de muita gente é o pagamento das contas mensais.

O mercado imobiliário, assim como outros setores da economia, também enfrenta inúmeros desafios neste cenário de pandemia, especialmente no que diz respeito às relações locatícias. Segundo Alexandre Corrêa, Vice-Presidente Jurídico e de Assuntos Legislativos do Secovi Rio, deve-se buscar o equilíbrio nas negociações entre locadores e locatários, já que ambos foram atingidos pela crise atual.

“O mercado de locação não está  imune à crise, mas isso não quer dizer que os locatários estão isentos de suas obrigações contratuais, especialmente  às relativas ao pagamento do aluguel e demais encargos. No atual momento, o ideal é usar o diálogo e a negociação  na busca de uma solução que atenda aos interesses de ambas as partes”, afirma Alexandre Corrêa.

 Como a crise afeta pessoas, ela atinge tanto o locatário como o locador, por isso, o bom senso deve ser usado para achar a melhor solução para este momento”, conclui.