Bom momento para quem quer investir em imóveis

  • Por Secovi Rio -


O bairro de Icaraí, na Zona Sul de Niterói, continua sendo o local mais desejado para se morar na Cidade Sorriso. Localização, equipamentos culturais, comércio diversificado e boas escolas estão entre os atrativos apontados em pesquisa

Quem está pensando em investir em imóvel em Niterói pode estar no momento certo. O preço do metro quadrado (m²) de venda de apartamentos na cidade está em queda desde junho, porém especialistas no mercado imobiliário apontam que há retomada de valorização do segmento, o que pode aumentar gradualmente os valores nos próximos meses. Maria Paula e Piratininga são os bairros com maior valorização de apartamentos, segundo o Sindicato da Habitação (Secovi) Rio. Já pesquisa do Grupo Zap afirma que Icaraí é o bairro mais desejado para morar.

Junho foi o mês com preços de negociação mais elevados neste ano, atingindo média/m² de R$ 6.680. Em outubro, a média chegou a R$ 6.603, quando no mesmo período do ano passado era de R$ 6.805. De acordo com o levantamento do Secovi, o valor do m² de venda na cidade vem sofrendo uma queda desde janeiro de 2017, quando era cobrado, em média, R$ 7.256/m². A redução chegou a 12,8%.

Vice-presidente do Secovi Rio, Leonardo Schneider afirma que o mercado imobiliário de Niterói sofreu uma crise nos últimos quatro anos, assim como o Rio de Janeiro, o que deixou os preços mais estáveis, apesar das quedas. Para o especialista, ainda é cedo para avaliar, mas o segmento segue uma tendência de melhora.

“Mercado em geral no Rio está com boas condições, talvez iniciando um novo ciclo, com aumento da confiança no segmento e diminuição das taxas de juros, o que pode elevar, de maneira gradual, os valores. É uma boa hora para entrar no mercado e aproveitar essa valorização ainda no início”, pontuou.

A pesquisa Cenário do Mercado Imobiliário de Niterói 2019, que será lançada neste mês, aponta que o valor geral do m² para venda de apartamentos variou -1,1% de janeiro para outubro deste ano (de R$ 6.674 para R$ 6.603), enquanto para locação variou -0,2, caindo de R$ 18,86 para R$ 18,82 no mesmo período. Schneider explica que a escolha entre alugar ou comprar um imóvel depende do planejamento de cada pessoa ou família, identificando o objetivo.

“Quem quiser comprar, tem a tendência de quebra da taxa de juros, que é positivo. Para alugar, chegamos ao patamar de preço médio de 2012, tem mais oferta e mais tempo para procurar e negociar, é uma análise a ser feita”, indicou.

Mais vantajoso – De acordo com os dados do Secovi, está mais vantajoso vender apartamentos em Maria Paula e em Piratininga, bairros que tiveram uma variação de 5,5% e 2,4%, respectivamente, no valor geral do m² de janeiro a outubro deste ano. O valor aumentou de R$ 4.039 para R$ 4.261 e de R$ 7.092 para R$ 7.603, em ordem. Já São Domingos e Boa Viagem foram os mais desvalorizados, baixando o valor de venda/m² de R$ 6.267 para R$ 5.787 (-7,7%) e de R$ 8.890 para R$ 8.099 (-8,9%).

Em relação à locação, os bairros mais atrativos para alugar no preço do metro quadrado são o Centro e Itaipu, que registraram variação positiva de 8,9% e 8,4% de janeiro a outubro deste ano. O valor de locação subiu de R$ 17,12 para R$ 18,64 no primeiro bairro e de R$ 17,32 para R$ 18,77. Já os que tiveram menos valorização foram Fonseca (-7,9%) e São Domingos (-8,2%), que baixaram de R$ 17,32 para R$ 18,77.

Este é o segundo ano consecutivo que o bairro de Piratininga aparece como um dos mais valorizados. A pesquisa Cenário do Mercado Imobiliário Niterói 2018 apontou que Piratininga teve valorização de 4,7% no valor de venda de apartamentos em relação a 2017, seguido de Boa Viagem (4,1%). Fonseca (-7,6%) e Maria Paula (-6,4%) haviam sido os menos valorizados, isto é, onde o m² ficou mais em conta.

Já nas vendas de casa, Icaraí (9,8%) foi o bairro com maior valorização, seguida de Piratininga (4,8%) e Itaipu (4,8%), enquanto residências nos bairros do Centro (-20,9%), Ingá (-12,8%) e Barreto (-9,6%) foram os menos valorizados por m².

A pesquisa completa de 2019 será divulgada no próximo dia 12, na Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) de Niterói, de 8h30 às 11h. O Secovi Rio vai apresentar os números da variação dos valores do m² em mais de 20 bairros de Niterói, além de dados de coberturas e casas. Os palestrantes confirmados são Leonardo Schneider, vice-presidente do Secovi Rio, e Bruno Serpa Pinto, presidente da Ademi Niterói.

Bairros mais atrativos em Niterói

Um outro levantamento, realizado pelo portal imobiliário Viva Real, do Grupo Zap, aponta que o bairro de Icaraí é o mais desejado para se morar em Niterói nos últimos quatro anos consecutivos. Santa Rosa e Centro revezam-se entre a segunda e a terceira colocação.

Os dados foram analisados através de buscas feitas pelos sites do ZAP e Viva Real entre o período do segundo semestre de 2016 e o primeiro de 2019. Apesar da quantidade de busca não ter sido divulgada, o levantamento também aponta que nos últimos anos, Ingá, Barreto, Fonseca, São Francisco, Itaipu, Piratininga, Camboinhas e Charitas também foram procurados.

De acordo com a economista do grupo, Deborah Seabra, as ruas arborizadas e prédios de alto padrão de Icaraí, além de estar situado na margem oposta às praias do Flamengo e do Botafogo, na orla do Rio, são levados em consideração na busca pelo imóvel. A boa localização também chama a atenção.

“O bairro ainda conta com um ótimo acesso a instalações culturais, como a dois teatros próximos, e aos principais colégios particulares da região. Além disso, na área da saúde, o bairro possui hospitais de renome, como o público Antonio Pedro e outros três particulares”, explica Deborah Seabra.

O tipo de transação mais desejada entre janeiro de 2016 e junho deste ano foi a locação, que liderou as buscas por 74% das intenções. Para Seabra, esse dado tem como base o melhor custo benefício para quem deseja um imóvel.

“Atualmente, com a retomada na valorização dos imóveis, a locação está mais atrativa. É a forma que as pessoas encontraram para ter acesso a imóveis com excelentes localizações por um preço que cabe no bolso”, detalha.

Mercado imobiliário do Rio de Janeiro

Os bairros da Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Campo Grande, Jacarepaguá e Copacabana foram os que mais registraram apartamentos vendidos na cidade do Rio neste ano, segundo levantamento do Secovi Rio. Segundo o vice-presidente do sindicato, Leonardo Schneider, as transações de vendas de imóveis aumentaram de 10 a 15% neste ano, comparado com o ano passado.

No total, foram 7.782 apartamentos vendidos entre janeiro e setembro, o que representa 32% do total de vendas na cidade. Dos cinco bairros do ranking com apartamentos mais vendidos, os quatro primeiros são da Zona Oeste, que concentra a maioria da população da capital. De acordo com Schneider, a região, costumeiramente, tem preços mais atrativos e descontos por conta do volume de imóveis.

Neste ano, a capital registrou variação de -0,89% na venda do metro quadrado de janeiro (R$8.865) a outubro (R$8.786) deste ano. Para locação, a variação foi de -0,46% no mesmo período, caindo de R$29,83 para R$29,69.

“O mercado do Rio, neste segundo semestre, começou a dar sinais de leve recuperação e melhoria dos negócios no segmento, caminhando para um mercado mais aquecido. A quantidade de imóveis lançados aumentou, assim como a confiança do segmento e a redução de taxas de juros”, explicou.

 

FONTE: Jornal O Fluminense