Banco Central debate atividade econômica no Estado do Rio

  • Por Secovi Rio -


A atual conjuntura política e econômica, com altas taxas de desemprego, aumento da violência e a crise nos governos estadual e municipal contribuem para a queda nos preços de imóveis para locação e venda no Rio de Janeiro, somados ao aumento bastante expressivo da oferta. De maio de 2012 a maio de 2018, a quantidade de unidades residenciais disponíveis para alugar cresceu 560%, e o preço médio do metro quadrado caiu 16%.

Para venda, o aumento da oferta foi de 123% no mesmo período mas os preços médios tiveram um longo período de alta, valorizando 30% nos últimos cinco anos. As informações foram dadas por Leonardo Schneider, vice-presidente do Secovi Rio, em uma reunião – a ser realizada semestralmente – promovida pelo Banco Central com entidades de diversos segmentos econômicos, cujo objetivo é trocar informações sobre a atividade econômica no Estado.

No evento, que contará com a participação da equipe do Departamento Econômico do BC no Rio e do Diretor de Política Econômica da entidade, Carlos Viana de Carvalho, os convidados farão apresentações sobre seus segmentos e poderão trocar percepções entre si.

Participaram representantes da Riotur, ABH-RJ – Hoteis, Sinduscon (construção civil), ASSERJ (supermercados), ABIMAQ (Ind. de Máquinas e Equip), SINAVAL (Ind. da Const. Naval), ADERJ (Assoc. de Atac. e Distrib. do RJ) e SINDIQ (sindicado das Indústrias Químicas).